RASTREIO PRÉ-NATAL

1.   Rastreio do primeiro Trimestre

  • O teste de Rastreio Pré-Natal no 1º trimestre, entre a 11ª e a 13ª semana, destina-se a detectar algumas gestações com risco aumentado para Síndrome de Down.
  • Se o resultado do rastreio for positivo, este protocolo dá seguimento aos exames adicionais necessários.
  • O CONSENTIMENTO INFORMADO irá focar os seguintes pontos:

          i. O rastreio pré-Natal no soro materno, efectuado no 1º trimestre (entre a 11ª e a 13ª semana de gestação), pode detectar cerca de 75% dos Síndromes de Down;

          ii. 25% dos Síndromes de Down não são diagnosticados por este rastreio;

          iii. O rastreio efectuado no primeiro trimestre não permite identificar defeitos abertos do tubo neural (rastreio só efectuado entre a 15ª e a 24ª semana de gravidez);

          iv. Os resultados deste rastreio não são diagnósticos, são apenas indicadores;

          v. Os resultados de risco normal não garantem um bebé normal.

2.   Rastreio do segundo Trimestre

  • O teste do rastreio pré-Natal no 2º trimestre, entre a 14ª e a 24ª semana, destina-se a detectar algumas gestações que necessitam atenção especial, e a fornecer informações importantes acerca da possibilidade da existência de malformações no bebé, nomeadamente Síndrome de Down, Defeitos Abertos do Tubo Neural e Trissomia 18.
  • O rastreio do Síndrome de Down e Trissomia 18 podem ser efectuados entre a 14ª e 22ª semana.
  • O rastreio de Defeitos Abertos do Tubo Neural pode ser efectuado entre a 15ª e a 24ª semana.
  • Assim, a altura ideal de efectuar o rastreio situa-se entre a 15ª e a 18ª semana de gestação.
  • Se o resultado do Rastreio for Positivo, este protocolo dá seguimento aos exames adicionais necessários.
  • SEMPRE QUE POSSÍVEL o tempo de gravidez (em semanas e dias) deve ser confirmado por ecografia, antes da colheita.
  • O CONSENTIMENTO INFORMADO irá focar os seguintes pontos:

          i. O rastreio pré-Natal no soro materno, efectuado no 2º trimestre, pode detectar cerca de 63% dos Síndromes de Down e 90% dos defeitos abertos do tubo neural (DTN);

          ii. 37% dos Síndromes de Down e 10% dos DTN não são diagnosticados por este rastreio;

          iii. Os resultados deste rastreio não são diagnósticos, são apenas indicadores;

          iv. Os resultados de risco normal não garantem um bebé normal.

3.   Dados necessários (a preencher na folha de requisição própria para este exame):

  • Dados demográficos completos da grávida e identificação (com morada) do médico prescritor;
  • Preenchimento completo das informações clínicas relevantes (pelo médico assistente, pela grávida ou pela técnica que realiza a colheita);
  • Preenchimento dos dados ecográficos (principalmente data da ecografia e valor da translucência da nuca) e fotocópia do relatório da ecografia obstétrica;
  • Assinatura do consentimento informado.

4.   Colheita

  • A colheita tem que ser realizada entre a 11ª semana e a 13ª semana + 6 dias (1º trimestre) e a 14ª semana e a 18ª semana + 6 dias (2º trimestre)

O Laboratório não efectua o rastreio integrado, mas apenas no 1º trimestre. O rastreio no 2º trimestre efectua-se quando requisitado pelo clínico, ou quando a grávida ultrapassou o tempo previsto para a colheita do 1º trimestre.